[Resenha] Frida Kahlo: Para que preciso de pés quando tenho asas para voar?


Título Original: Frida Kahlo: Pourquoi voudrais-je des pieds puisque j’ai des ailes pour voler?
Autores: Jean – Luc Cornette e Flore Balthazar
Editora: Nemo

                Frida Kahlo foi uma das maiores expoentes da arte mexicana enquanto estava vida. E após a sua morte, o mundo passou a usá-la como referência em diversos setores da estrutura social, inclusive para mostrar o quanto ela foi revolucionária para a época em que viveu.


                Aqui, nós temos um pequeno recorte da vida da artista. A história da HQ acontece entre os anos de 1936 a 1940, época em que Stalin estava no poder na Rússia e Trotsky precisava viver refugiado em outros países. Logo na primeira página, o leitor já é jogado em meio a essa discussão, em que a economia norueguesa está ameaçada de perder um dos seus grandes consumidores de arenques por oferecer asilo ao Piochita. Desse modo, Diego Rivera, marido de Frida, se empenha em trazer o homem para Tampico e assim salvar sua vida.


                É aí que o leitor pode conhecer um pouco mais sobre a influência da Frida fora do mundo das artes. Além de artista, ela era ativista política, formadora e influenciadora de opinião e lutava pelo direito de igualdade entre as mulheres e homens em todos os sentidos (profissão, política e vida pessoal).


                Para os anos de 1930 podemos dizer que a bolha social em que Frida vivia era muito a frente do seu tempo. Eles vivam em total liberdade, com um estilo de vida no qual, muitas das relações sociais eram construídas na luta pelos mesmos ideais. O que, em contra partida abria espaço para que os opositores das lutas e opiniões da artista e seus amigos defendiam, se infiltrassem facilmente entre eles.

                Ao longo da minha vida, construí uma imagem bem diferente  de Frida Kahlo, principalmente por até hoje não ter tido muito contato com sua história. Conheci a artista nas aulas de história da arte no colégio e nada mais. Em alguns aspectos da vida pessoal dela, eu acredito que poderiam ter sido bem diferentes, caso Frida tivesse tido outra vivência e outro contexto social.


                Essa HQ é destinada para um público mais adulto, já que além do contexto político, possui muitas cenas de sexo, consumo de bebidas alcoólicas e um vocabulário mais “chulo”. Outro detalhe que pesa bastante na indicação da idade, são as cenas de violência que acontecem em alguns momentos da história, chegando até mesmo, a mostrar cenas de assassinato.

                Confesso que fiquei bastante surpreendida com a história real da vida de Frida Kahlo e que não concordo muito com alguns aspectos da vida pessoal dela. Mas, como artista e ativista política tiro meu chapéu, afinal de contas ela defendeu e acreditou em seus ideais até o final da vida e sem se importar com a opinião de ninguém.
             

Obrigada por acompanharem meu trabalho. Não se esqueçam de seguir as redes sociais do blog e o canal do Youtube (Clique aqui para se inscrever). 
Bjoxxx e até a próxima =) 

Share this:

JOIN CONVERSATION

    Blogger Comment

0 comentários :

Postar um comentário