A Culpa é das Estrelas


A capa com estrelinhas de origami
  Ficha técnica:

Título: A Culpa é das Estrelas (The Fault in Our Stars)
Subtítulo: 
Autor(a): John Green
Editora: Intrínseca
Edição: 1ª Impressão
Gênero: Ficção Americana/ Sick-lit
Ano de publicação: 2012
Quantidade de páginas: 286
Quantidade de capítulos: 25

Resenha:

      Um dos livros mais emocionantes já escritos. Sério, se você ainda não leu o "A Culpa é das Estrelas" vá correndo a qualquer livraria da sua cidade, compre pela internet, peça emprestado, mas acredite em mim: TODO MUNDO PRECISA LER ESSE LIVRO. 


Detalhe da lombada
     Não estou aqui para fazer propaganda de editora, vocês sabem que todos os livros que venho resenhando até agora foram comprados (em breve farei um vídeo com os livros que recebi de parceira, aguardem), porém tenho que admitir que a Editora Intrínseca (que não é minha parceira, vale ressaltar), acertou em cheio quando trouxe essa obra-prima do John Green para o Brasil.
     Seguinte: sabe aquele livro que você não quer terminar de ler?! Sabe aquele livro que você se envolve na história, a ponto de achar que os personagens são seus amigos de infância? Pronto, "A Culpa é das Estrelas" é desse tipo. A história é linda, linda, linda. Emocionante, muito bem escrita, com um enredo super cativante e envolvente. 


Visão geral da capa completa
      Hazel e Gus se conhecem no grupo de apoio para crianças com câncer. Ela ainda está em tratamento. Ele precisou amputar uma perna, mas já concluiu o tratamento e leva uma vida praticamente normal (com as limitações da deficiência, claro). No início, a Hazel nem dá muita bola para o garoto e acha que ele é um chato e só está querendo lhe encher o saco.  Desde o primeiro encontro dos dois Gus, faz de tudo para que a garota aceite sua amizade e procure experimentar o que a vida tem de bom.
     Vou parar por aqui pois a história é muito linda e necessita de uma leitura completa do livro. Uma resenha é muito pouco para expressar tudo o que a mensagem desse livro transmite.  Tenho que admitir que desde a primeira linha em que o Gus aparece fiquei apaixonada por ele. Sério, a Hazel é maravilhosa, mas o Gus é DIVO. Ele entrou pra minha classificação de personagens literários favoritos e está entre os primeiros da minha lista. 
A segunda capa é tora preta
    Esse é o primeiro livro que leu do John Green e não me arrependo. Se eu pudesse compraria vários exemplares e distribuiria para as pessoas que mais gosto, só pra elas entenderem como esse autor é maravilhoso. Até agora, só tenho mais um livro dele (O Teorema Katherine), mas vou colocar os outros dele (Will & Will, Cidades de Papel e Quem é você Alasca?), na minha wishlist literária de 2014 (que por sinal já está enorme. Oh, God!).
Foto do autor no final do livro
Nota de abertura do autor, esclarecendo que o livro é uma obra de ficção
     A diagramação é simples, com margem/fonte/espaçamento muito bem feito e sem nenhum errinho de português (quer dizer, não que é tenha percebido, estava tão envolvida na história...). Pra não fugir a regra, chorei horrores e cheguei ao ponto de dormir abraçada com o livro, como se ele precisa-se ser cuidado com todo carinho. Aliás, acho que era isso mesmo. Dormir abraçada com o livro, foi uma forma de tentar consolar a Hazel e o Gus. 
Diagramação simples nas páginas
     Pra quem ainda não sabe, em 2014 chegará as telonas o filme: The Fault in Our Stars. Os atores escolhidos são crianças e adolescente  que tiveram câncer na vida real. Pra ficar por dentro de todos os detalhes do set de filmagens, é só acompanhar a fan page , ou o tumblr, enfim as redes sociais do John Green. Ele posta vídeos e fotos quase que diariamente com os atores e os bastidores da gravação. 
    É isso pessoal, espero que vocês tenham gostado da resenha, O.K. Deixem seus comentários sobre o livro, O.K. Bjoxxxx, O.K. E até a próxima O.K. 

P.S.: Quem já leu o livro entendeu o porque o dos O.K. s! O.K.

Terceira capa do livro
O.K.
O.K.

Share this:

JOIN CONVERSATION

1 comentários :

  1. O.K...

    PAMELLA SE DESFAZ EM LÁGRIMAS! Esse livro é maravilhoso! Sem palavras, sem palavras!

    ResponderExcluir